III Comboio Sénior e da Cidadania



Realizou-se no passado dia 5 de Julho o III Comboio Sénior e da Cidadania, organizado pela RUTIS com o apoio da Secretaria de Estado para a Cidadania e Igualdade.

O comboio partiu ás 9.00h de Porto Campanhã em direcção à Figueira da Foz, com paragens em Gaia, Esmoriz, Aveiro e Coimbra. Participaram no comboio 500 alunos, professores e dirigentes de 15 Universidades Seniores. Durante o trajecto houve animação com um duo de acordeonistas e com o grupo de teatro da US de Ferreira do Zêzere. Ver video.

Na chegada à Figueira da Foz os passageiros foram recebidos pelo grupo de cavaquinhos da US da Figueira da Foz e pelos padrinhos/madrinhas. Após uma ligeira caminhada os 500 participantes foram recebidos pela Veradora da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Dra. Diana Rodrigues, e que leu um comunicado da Secretária de Estado, Dra. Rosa Monteiro. Ver texto mais à frente.

Depois do almoço no Parque Municipal, os participantes foram visitar alguns locais emblemáticos da cidade. Pelas 16h o grupo voltou a reunir-se para a festa da Cidadania no parque municipal.

O regresso ao Porto foi ás 18.30h. Esta iniciativa foi mais um grande momento de convivio, festa e cidadania entre as US. 

Agradecemos o apoio da SECI, Câmara Municipal da Figueira da Foz, CP, PSP, US da Figueira da Foz e Cruz Vermelha Portuguesa.

 

Mensagem da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro

 

"Começo por felicitar a RUTIS – Rede de Universidades da Terceira Idade pela organização desta excelente iniciativa. Agradeço também às instituições parceiras: a Câmara Municipal da Figueira da Foz, a CP – Comboios de Portugal, a Universidade Sénior da Figueira da Foz e todas as Universidades Seniores que se juntaram com entusiasmo ao Comboio da Cidadania e Voluntariado.

Como reconhece a Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação 2018-2030 – Portugal + Igual, as pessoas idosas deparam-se frequentemente com dificuldades e necessidades específicas. Não é por acaso que a Operação Censos Sénior da Guarda Nacional República sinalizou, em 2018, mais de 45 mil pessoas idosas em situação de vulnerabilidade associada à solidão e ao isolamento. Como sabemos, essa vulnerabilidade contribui para que muitas vezes as situações de sofrimento e maus-tratos sejam vividas em silêncio, sem saber a quem ou como pedir ajuda.

Por isso temos apoiado programas e intervenções especificamente destinadas a pessoas idosas, incluindo esta área de trabalho nos concursos de financiamento para projetos na área da formação e da prevenção e combate à violência contra as mulheres e violência doméstica. Assim temos tornado possíveis projetos como o Quid Amar, da Associação Democrática de Defesa dos Interesses e Igualdade das Mulheres, que está a capacitar técnicas e técnicos no distrito do Porto para a intervenção em situações de abuso e violência contra pessoas idosas; ou como o projeto BemMeQuer+, da associação Amato Lusitano, que permitiu criar uma Rede Integrada de Apoio à Pessoa Idosa em Castelo Branco.

Para lá dos riscos e das vulnerabilidades, é fundamental afirmar e valorizar todas as pessoas idosas como sujeitos ativos e capazes de transformar o mundo. Defendemos um paradigma de vida ativa e participação cívica, com ênfase na aprendizagem ao longo da vida, na promoção da igualdade de género e no combate às discriminações em todas as etapas da vida.

Vale a pena lembrar que as pessoas idosas, longe de constituirem um grupo homogéneo e uniforme, são também muito diversas entre si – são homens e mulheres com diferentes composições familiares, com diferentes capacidades físicas, com diferentes origens raciais e étnicas, com diferentes orientações sexuais. Portanto, não há uma resposta única e imediata para todas as suas necessidades: o desafio é assegurar que todas as instituições e práticas da nossa sociedade refletem este compromisso e que trabalhamos em conjunto, todos os dias, para o tornar realidade.

Contem comigo.

Muito obrigada pela vossa participação e pelo vosso entusiasmo."

 

 

 

  • 2019-06-08